Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Antropoceno - pedido de colaboração

por Mäyjo, em 17.06.19


Queres colaborar na realização de um curto documentário que reflita o estado de degradação que a espécie humana provocou no planeta, e que está a levar à 6ª extinção em massa?

Antropoceno.jpg

O desafio foi lançado por Henrique Zamith, músico e permacultor famalicense. Para a produção deste documentário ele necessita de colaboração voluntária, através do envio de vídeos sobre o tema (sem pessoas) para fazerem parte deste documentário.


O projeto está a ser divulgado a partir da página no Facebook:  The Anthropocene - short musical documentary

Colaborem e divulguem! 


«PARTILHA SE TE FIZER SENTIDO

Antropoceno: pedido de colaboração

Olá!
O meu nome é Henrique. Vivo em Portugal. Estou a produzir um documentário musical de curta duração - O Antropoceno, estou a pedir a colaboração de pessoas um pouco pelo planeta fora.

Um desafio global com uma solução global. Digo eu.

Sou músico e professor de música. Estou a produzir o documentário baseado nas colaborações que for capaz de reunir, pois não tenho nem orçamento nem apoio financeiro.

O videos usados no documentário serão creditados a quem os partilhe, não pagarei qualquer valor pelos videos, pois não tenho qualquer orçamento para isso.

O Documentário será curto, e o objectivo principal será, utilizando a internet, contribuir para a consciencialização da devastação ecológica e do declínio das espécies animais, num formato curto facilmente reproduzível em qualquer contexto. Criando assim uma pequena caracterização do Antropoceno.

O meu pedido de colaboração é para Videos HD que possam ter acesso e partilhar.

Para o documentário preciso de:

- Videos curtos de apenas alguns segundos,
- Videos em Alta definição (HD);
- Videos sem Homo Sapiens. MUITO IMPORTANTE.
- Local e data do video.
- Videos de habitats devastados/degradados.
- Videos de declínio de espécies Animal (sem Homo Sapiens nos videos).

POR FAVOR CONTACTE-ME:

- Se tem qualquer questão sobre a produção.
- Se quer partilhar um video mas tem dúvidas se pode ser usado.
- Se quer colaborar, mas de outra forma.
- Usa anthropocene.doc@gmail.com para contacto.

VIDEOS REJEITADOS:

- Videos com a presença de Homo Sapiens na imagem serão rejeitados.
- Videos de baixa qualidade de imagem serão rejeitados.
- Videos com conteúdos inapropriados serão rejeitados.
- O Documentário será curto. Se necessário os videos serão selecionados tendo como critério a qualidade e a riqueza do conteúdo.

Obrigado pela sua colaboração e espero pelo seu contacto em breve,

Henrique Zamith
anthropocene.doc@gmail.com»


https://www.facebook.com/The-Anthropocene-short-musical-documentary-353607921933527/

**************************************************************************************************

«SHARE IF IT WORTHWHILE 

The Anthropocene call for collaboration:

Hello!

My name is Henrique. I live in Portugal. I’m producing a musical short documentary (doc) The Anthropocene. I'm requesting collaborations from people a little all over the planet.
A global challenge with a global solution, I say.

I’m a musician and music teacher. I’m doing the doc based on the collaborations that I might gather, I have no budget or financial support.
I will credit the videos to whom might share them, I will pay NO roallitiaes for the videos because I don’t have budget for that.

The doc will be short, and the overall goal is to raise awareness over the internet to ecological devastation, and animal species demise, in a format easily playable in any context. A little characterisation of The Anthropocene.

My request is about HD Videos that you might have.

For the short documentary I need:

- Short videos of a few seconds,
- HD Videos;
- No Homo Sapiens on the videos. VERY IMPORTANT.
- Location and date of the video
- Habitat devastation videos
- Animal species/habitat demise videos (no Homo sapiens on the videos).

PLEASE CONTACT ME:

- If you have questions about the Anthropocene production collaboration.
- If you want to share a video, but you are not sure that it could be used.
- If you want to collaborate, but in a different way.
- Use anthropocene.doc@gmail.com for contact

VIDEOS WILL BE REJECTED:

- Videos with Homo Sapiens on the image will be rejected.
- Videos with low imagem quality will be rejected.
- Videos with improper content will be rejected.
- The doc shall be short. If necessary, videos will be selected based on their content quality.

Thank you for your collaboration I hope to ear from you.

Henrique Zamith
anthropocene.doc@gmail.com
»

https://www.facebook.com/The-Anthropocene-short-musical-documentary-353607921933527/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:44

Casa do Tyto

por Mäyjo, em 07.06.17

Os alunos que visitam o EVOA este ano, são convidados a acompanhar a casa das Tyto ao longo do ano.

Este vídeo permite explorar alguns aspetos, como por exemplo:

 

Qual é o objectivo da anilhagem? 

Na maioria dos países do mundo, a anilhagem é hoje aceite como ferramenta de investigação essencial. Em muitos casos, a urgência das medidas de conservação de algumas espécies impõe mesmo programas específicos e intensivos de marcação e controle, tendo como principal objetivo a obtenção rápida de indicadores que possam ser traduzidos em medidas concretas de gestão dos habitats ou de correção dos principais fatores de ameaça.
 
 
Para além de ratos, qual e o outro animal que as corujas estão a comer no ninho?
 
Um passeriforme (pássaro). Esta espécie alimenta-se fundamentalmente de roedores, mas consome também musaranhos, morcegos, pequenas aves, répteis, anfíbios, peixes e insetos. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:58

A natureza a falar - Solo

por Mäyjo, em 21.03.17

«Eu sou o Solo.
Estou nas colinas, nos vales,
Nos campos, nos pomares.
Sem mim, os humanos não existiriam.
Mas tratas-me como sujeira.
Sabes que sou apenas uma pele fina neste planeta?
E que estou vivo?
Cheio de organismos que fazem crescer os teus alimentos?
Mas estou débil, seco, sobreusado, doente,
Por tua causa.
Fizeste-me definhar
Para menos de metade do que eu era apenas há cem anos.
Está a prestar atenção?
Estou a transformar-me em poeira.
Portanto, talvez me possas tratar com um pouco mais de respeito.
Suponho que queiras continuar a comer,
Certo?»


Um vídeo de Conservation International com locução de Edward Norton.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:25

O QUE SÃO PLANTAS AUTÓCTONES? E QUAIS AS VANTAGENS QUE TÊM NA BIODIVERSIDADE?

por Mäyjo, em 13.03.17

plantas-autoctones

A flora nativa de Portugal, também conhecida como autóctone, é composta por uma grande variedade de árvores e arbustos, bem como por muitas outras plantas. Entre as árvores mais frequentes podemos encontrar o carvalho, a azinheira, o sobreiro, o salgueiro e tantos outros. Há ainda arbustos típicos como a aroeira, o medronheiro, o rosmaninho, ou o alecrim, entre outros.

 

Se tem um jardim, horta ou pedaço de terreno florestal disponível, saiba que usar plantas autóctones nas próximas plantações ou sementeiras que fizer, já que esta prática contribui de forma significativa para uma maior sustentabilidade.

Isto porque estas plantas estão mais adaptadas às condições do solo e do clima do nosso território são mais resistentes a pragas e a doenças, bem como a longos períodos de seca. Desta forma não precisam de tanta manutenção nem de cuidados especiais.

Descubra mais sobre os benefícios das plantas autóctones neste vídeo do Minuto Verde, da associação Quercus.

O Minuto Verde é uma rubrica produzida pela Quercus e emitida aos dias úteis na RTP.

Foto: via Creative Commons

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:47

Angola, um país rico com 20 milhões de pobres

por Mäyjo, em 02.01.17

Uma sugestão para iniciar o estudo do tema do desenvolvimento.

Esta reportagem da SIC, mostra bem os contrastes de desenvolvimento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:07

LOIÇA DESCARTÁVEL: QUAL A ALTERNATIVA PARA ESTE PRODUTO COM TÃO ELEVADO IMPACTO AMBIENTAL?

por Mäyjo, em 31.12.16

copos-descartaveis

Em época de jantares de Natal dia sim dia não, muitas vezes a nossa tentação é correr para as prateleiras dos pratos, copos e talheres descartáveis disponíveis em todos os supermercados. No entanto este gesto tem um elevado impacto negativo no ambiente.

 

Produzidos a partir de um recurso não renovável, estes objectos descartáveis têm um tempo de vida útil muito pequeno e uma pegada ecológica bastante elevada. No entanto, por vezes usar pratos ou copos de loiça de vidro não é muito adequado, caso das festas no exterior ou com crianças, pois não é tão prático e seguro.

A solução fácil para resolver este problema passa pela utilização de produtos reutilizáveis em plástico. Feitos em material resistente e com uma grande diversidade de formas e tamanhos, podem ser usados de forma segura, tornando-se numa boa opção para quem quer conjugar o aspecto prático com escolhas ambientais mais conscientes.

O Minuto Verde é uma rubrica produzida pela Quercus e emitida aos dias úteis na RTP.

Foto: via Creative Commons

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:56

BIO MERCADO, UM ESPAÇO NO CENTRO DE LISBOA, ONDE SÓ ENTRAM PRODUTOS BIOLÓGICOS

por Mäyjo, em 09.11.16

biomercado

Se há uns anos atrás comprar produtos biológicos era difícil e bastante caro, estando vedado apenas a uma pequena minoria, hoje o cenário é bastante diferente.

 

A quantidade de lojas e supermercados biológicos aumentou, assim como a gama de produtos que estas lojas oferecem é cada vez mais diversificada. É o caso do supermercado BioMercado, na Avenida Duque D’Avila, bem no centro de Lisboa.

Este espaço aposta na combinação de várias rotinas diárias, para tornar mais fácil a introdução de práticas biológicas no nosso dia-a-dia. Aqui é possível fazer as compras lá para casa, bem como encomendar produtos frescos para recolher em dias específicos.

Uma loja bem no centro de Lisboa, a conhecer!

Foto: BioMercado

O Minuto Verde é uma rubrica produzida pela Quercus e emitida aos dias úteis na RTP. 

Foto: BioMercado

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:14

Rio em time-lapse 8K

por Mäyjo, em 18.09.16

Joe Capra (aka SCIENTIFANTASTIC) tem alguns dos vídeos time-lapse mais interessantes.

Ainda em época de olimpiadas, eis dois dos seus videos sobre o Rio.

 

Best viewed in HD, fullscreen


RIO - 8K from SCIENTIFANTASTIC on Vimeo.


e

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:04

COMO RENTABILIZAR AO MÁXIMO A VIDA ÚTIL DE PILHAS E BATERIAS?

por Mäyjo, em 17.09.16

pilhas

Por conterem metais pesados na sua composição, as pilhas e baterias são um dos resíduos com maior probabilidade de impacto ambiental, quando em contacto com o meio natural, caso de cursos de água.

Hoje em dia as pilhas e baterias são presença constante no nosso dia-a-dia, por isso alguns cuidados na rentabilização destes consumíveis são essenciais. Os equipamentos não têm todos níveis de consumo energético iguais, por isso devemos ter isso em consideração antes de deitar estes consumíveis no pilhão. Por exemplo, as pilhas e baterias podem já não ter energia suficiente para uma máquina de fotografar, mas estarem aptas para meses de autonomia num dispositivo de menor consumo, caso de um despertador ou máquina calculadora.

O ideal será combinar o uso de pilhas convencionais com pilhas recarregáveis, prolongando ao máximo a sua vida útil.

O Minuto Verde é uma rubrica produzida pela Quercus e emitida aos dias úteis na RTP.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:56

O VÍDEO QUE REVELA 40 ANOS DE DESTRUIÇÃO AMBIENTAL NA AMAZÓNIA

por Mäyjo, em 24.11.15

O vídeo que revela 40 anos de destruição ambiental na Amazónia

O Google Earth e o programa Landsat, da NASA, criaram aquilo que pode ser considerado o mais próximo de uma máquina do tempo virtual para mostrar a desflorestação da Amazónia. No total, são 40 anos de destruição condensados num vídeo de poucos minutos.

Para criar o vídeo, foram organizadas, compiladas e editadas centenas de fotografias da Amazónia recolhidas pelos satélites espaciais. Agora, pela primeira vez, é possível ver o resultado de décadas de actividade humana neste ecossistema terrestes e as consequentes taxas de destruição ambiental.

Durante os últimos 40 anos, o Landsat tem capturados imagens das paisagens terrestres, fotografando a mesma área a cada 16 dias, refere o Inhabitat. O programa Landsat foi lançado pela NASA, em 1972, em parceria com a US Geological Survey.

Além da desflorestação da Amazónia, existem também vídeos sobre a seca do Mar de Aral e a explosão urbana de Las Vegas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:34


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2020

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D